domingo, 21 de fevereiro de 2016

O que os tímidos sentem e pensam?


Ser timido é ser incompreendido, é ser medroso, é se sentir exposto e em perigo o tempo todo. É como se você tivesse algo para esconder e não quisesse que ninguém soubesse, e parece que todos vão saber ao olhar nos seus olhos, ou conversar com você. É estranho e não é bom.
Se socializar é um desafio. Fazer amizades nunca foi tão difícil. Temos vontades, e sonhos, mas o medo nos impede de seguir em frente e "botar a cara no sol".
Aprender a lidar com isso é uma das tarefas mais difíceis. Querer esconder tudo de você, cada pedaço, cada parte interna e externa. A gente quer se esconder, viver numa bolha, não dar satisfações, sermos nós mesmos para nós mesmos. Como seria bom poder se expressar sem medo do que vem depois.
Nunca foi tão difícil expor os sentimentos. E por que é tão difícil ser simplesmente nós mesmos?
Não tem como fugir das pessoas e do mundo todo, quando estamos nele e não há como sair. Lidar com a timidez não é algo que só você ou eu precisamos enfrentar, é preciso ter coragem e noção de que existem milhões de pessoas com esse mesmo problema, você não está sozinho, e por mais que se sinta, eu acredito que você pode mudar isso.
A timidez é um bloqueio horrível dos qual temos que supera-lo. Algo tão interno e que simplesmente nos causa tantos sentimentos e sensações ruins, o medo da exposição nos impede de fazer aquilo que mais queremos, mais amamos, mais temos vontade de fazer. O quão ruim é ser impedido de realizar um sonho por um sentimento interno?
É complicado ser timido, é como se você estivesse sendo colocado a frente de desafios o tempo todo e como se todos a sua volta estivessem te colocando em perigo o tempo todo.
Ser timido é ter medo. Eu sou. Eu tenho medo. Eu me sinto mal só de pensar que vou ter que mostrar, socializar-me.
Como timida, eu entendo que a timidez é um conjunto de medos. Medo de ser julgado, de ser constrangido, de ser descoberto, de ter que se mostrar... Aquela sensação de que somos a pior pessoa do mundo e que ninguém merece nos conhecer. Aquela sensação de querer proteger o mundo de nós mesmos e proteger nós mesmos do mundo. 
O mundo é cruel, as pessoas são cruéis. E eu? Eu sou, mais alguém que não quer ter que lidar com a crueldade do mundo e das pessoas. Talvez eu seja tão cruel quanto todos eles, e acredito que eles não mereçam conhecer nenhum dos meus lados, nem o cruel e nem o bom. O bom é porque eu acredito que ele não exista e talvez pareça um pouco ridículo aos olhos alheios, o cruel é simplesmente por ser ruim, e eu já sou ruim demais para ter que demonstrar mais ainda o quanto posso ser ruim. Evitar que ninguém goste de mim.
Evitar que gostem de mim quando deveriam não gostar. Eu mereço mesmo tudo isso?
E agora eu vou te ensinar, tímido a parar de ser tão paranoico e introspectivo. Pensar demais é ruim, e cabeça vazia... Vocês sabem.
Você não é o único. Você não está sozinho. Você não é uma pessoa super boa ou super ruim e que todos querem conhecer, você é só mais um mero mortal. Não se sinta inferior. Você não é pior que ninguém.


Entenda que, todos os seres humanos são movidos a sentimentos. Nós sentimos frio, calor, amor, tristeza, raiva, rancor, alegria, felicidade... Sentimos tanta coisa. Uns sentem mais que outros, mas o que importa é que todos sentem. Querendo ou não, todos temos que passar por isso.
Todos vamos errar, todos já erramos um dia. Sentir vergonha de quem você foi ou de quem você é, não é saudável. Você é o que você já foi, você é um conjunto das suas lembranças, dos seus sonhos, dos seus pensamentos, dos seus amigos, dos lugares que você já foi, da sua família. Você não é alguém sozinho. Você é um todo. Uma mistura de sentimentos, pessoas e lugares.
Você não precisa se criticar tanto. Você está bem longe de ser a pior/melhor pessoa do mundo, todos somos meros mortais que cometem erros e acertos. Aceite-se.
Aceite-se. Entenda que você MERECE tudo o que acontece com você. Você merece as alegrias que a vida te dá, os amigos bons que entram na sua vida, você merece. Não se isole. Assim como todos os meros mortais, você tem algo bom dentro de si e as coisas boas a gente não esconde.
Seja verdadeiro com o que sente e pensa. Seja verdadeiro com a sua personalidade e com os seus sonhos. Você merece ser feliz. Nada de ruim vai acontecer com você, acredite em mim.
Não sei se todos os tímidos tem os mesmos medos que eu, e pensam da mesma forma, mas com certeza, todos tem medo de se expor. Nem todos podem ser considerados críticos, melancólicos ou preocupados. Tem muito tímido divertido e alegre, mas que esconde esse lado e só mostra para os conhecidos e quando se sente confortável.
Existem tímidos de vários tipos e formas, magros e gordos, feios e bonitos, alegres e tristes, loiros e morenos, mulheres e homens. Qualquer um pode ser tímido. Esse texto foi um reflexo de mim mesma (autora deste blog, Garota Etc), foi mais do que um texto, foi um desabafo, de como eu me sinto sendo tímida.
Não sei se todos vão se encaixar, mas saiba, que você não é o único (a), e que estamos juntos (as) nessa.
Vamos ser felizes e aceitar os nossos sentimentos, se estamos sentindo que é hora de ficar quieto, vamos ficar, e se estivermos sentindo muita vontade de GRITAR E CHORAR, vamos nos permitir. O importante é ser verdadeiro com o que sentimos. E não nos sentir culpados de não ter sido o que os outros imaginaram que nós éramos. Não precisamos corresponder as expectativas de ninguém, temos que ser apenas nós mesmos, por mais difícil que isso seja.
Não somos responsáveis pelas expectativas que outros criaram sobre nós. Somos o que somos, e quem precisa nos aceitar, é nós mesmos.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Professores autoritários não são bons


A minha vida inteira eu passei me questionando sobre o sistema educacional do qual eu era obrigada a estar. E de um jeito ou de outro, por mais que eu queria fugir, e os professores repetissem para mim "é seu direito de não fazer nada". Essa frase não combinava com o porém que vinha logo em seguida.
"É seu direito não fazer nada, e é meu direito te dar nota baixa por não fazer nada". Se você está impondo limites nos meus direitos quanto aluno(a), e regras, você está automaticamente invalidando o meu direito. Esse porém é carregado de contradições e autoritarismo.
Não é meu direito não fazer nada, se fosse meu direito, não teria condições nenhuma. Eu simplesmente não faria nada e ficava por isso mesmo, eu fiz essa escolha. Mas, nunca fica "por isso mesmo", o professor autoritário, disfarça a sua ordem, colocando antes, uma fala mais suave, "você tem esse direito". Mas, está EXPLICITO, que não.
Quem é aluno sabe e já presenciou isso. Principalmente aqueles que já deixaram a escola e passaram mais de 15 anos nesse sistema.
Passamos a vida inteira sendo ensinados a levantar a mão para falar, pedir para ir ao banheiro, não comer na sala de aula, não falar quando não for permitido, não levantar... Uma série de regras. Mas, somos seres humanos e essas regras tiram a nossa liberdade de agir como tais, e passamos a agir como robôs.
Não somos máquinas, e temos nossos instintos, nossas limitações, sonhos e vontades. Nem todo mundo quer ingressar em uma carreira acadêmica que precise prestar vestibular e fazer todo o processo que todos estão cansados de saber como é. Sair da escola, prestar vestibulares e várias provas de ensino médio, cursinho, faculdade, estágio, trabalhar... Mas, nem todos querem isso.
Cada pessoa tem seu objetivo e a escola precisa aprender a trabalhar com o indivíduo, e não com um grupo como se todos fossem iguais e pensassem da mesma forma. Em escolas maiores é complicado conhecer cada aluno a fundo, quando se tem 1000 alunos, e 40 em cada sala. Porém, se a escola se propor a mudar e aceitar que precisa ceder também, as coisas vão funcionar.
Enxergar novas possibilidades é necessário e saudável.
Ser flexível é normal, e todos tem o direito de mudar de opinião e se ajustar, tentar ajudar um ao outro. E os tempos mudaram e está mudando constantemente, é outra geração, hoje temos celulares, computadores e a maioria tem acesso fácil para a tecnologia.

Esse trecho é do livro PEDAGOGIA DA AUTONOMIA- Saberes Necessários à Prática Educativa, do autor, filósofo brasileiro, Paulo Freire.

"O professor que desrespeita a curiosidade do educando, o seu gosto estético, a sua inquietude, a sua linguagem, mais precisamente, a sua sintaxe e a sua prosódia; o professor que ironiza o aluno, que minimiza, que manda que "ele se ponha em seu lugar" ao mais tênue sinal de sua rebeldia legitima, tanto quanto o professor que se exige do cumprimento de seu dever de ensinar, de estar respeitosamente presente à experiência formadora do educando, transgride os princípios fundamentalmente éticos de nossa existência. É neste sentido que o professor autoritário, que por isso mesmo afoga a liberdade do educando, amesquinhando o seu direito de estar sendo curioso e inquieto. Tanto quanto o professor licencioso rompe com a radicalidade do ser humano - a de sua inconclusão assumida em que se enraíza a eticidade. É neste sentido também que a dialogicidade verdadeira, em que os sujeitos dialógicos aprendem e crescem na diferença, sobretudo, no respeito a ela, é a forma de estar sendo coerentemente exigida por seres que, inacabados, assumindo-se como tais, se tornam radicalmente éticos. É preciso deixar claro que a transgressão da eticidade jamais pode ser vista ou entendida como virtude, mas como ruptura com a decência."

Eu recomendo a leitura desse livro, para os que se interessam, e precisam de bons argumentos para lutar por essa causa, que é mudar o sistema de educação implantado no Brasil, por ser antigo e retrógrado, está na hora de mudar, mostrar soluções para os problemas, e exigir providências.
Aprender é essencial e precisamos, mas não necessariamente, aprender precisa ser uma atividade cansativa e tediosa. Podemos aprender de maneira leve e não sentir pressão psicológica. Trabalhar bem, é trabalhar com consciência e feliz.

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Enquete encerrada - Aprender outro idioma


Mais uma enquete encerrada no blog, dessa vez perguntamos qual idioma você gostaria de falar fluentemente entre 4 opções: alemão, italiano, inglês ou espanhol.
O idioma que mais querem falar/aprender é o inglês, considerado o idioma universal, já que há muitos países que tem ele como língua nativa, como: Austrália, Estados Unidos, Canadá, entre outros. E a segunda opção mais votada foi o italiano.
A enquete teve 28 votos.
Iremos fazer mais uma enquete para substituir essa, enquanto as outras ainda estão em andamento e você pode votar. Todas as enquetes estão na barra lateral do blog. E no final de cada enquete, fazemos uma postagem sobre o assunto mais votado.
-
O inglês é a língua oficial em 67 países.

O inglês é considerado um idioma necessário para o currículo de qualquer pessoa, visto que outros idiomas é apenas um complemento da língua inglesa, já que o inglês está muito valorizado, e os países que tem ele como oficial são em sua grande maioria países desenvolvidos e de primeiro mundo, no ranking de maiores economias do mundo, os Estados Unidos se encontra em primeiro lugar, como a maior economia do mundo e em segundo a China.
Um país que é a primeira economia, de certa forma, tem muita oportunidade de empregos, e uma porcentagem generosa de pessoas que imigram para lá em busca de melhores condições de vida, com isso, aumenta as pessoas que falam inglês e não são necessariamente americanas, mas tem o inglês como segunda língua.
O inglês é considerado um idioma fácil de aprender, pois não tem muitas conjugações verbais como o português, que temos vários tempos verbais, e várias maneiras de conjugar um verbo. Além disso, as formas de se falar com alguém é bem menor do que no nosso idioma.
No português temos a mania de usar artigos definidos e trocar o final das palavras por "o" ou "a" o tempo todo, dependendo se consideramos a palavra feminina ou masculina. Para agradecer por exemplo, se você for homem, diz "obrigado", se for mulher, diz "obrigada". No inglês não existe essa diferença, dizemos "thank you" "thanks". Independente se for mulher ou homem. Além de que, o artigo "o" ou "a". É "the". Tanto para um quanto para outro.
Muitas pessoas falam inglês, seja porque é nativo, ou tem ele como segunda língua. Podemos observar que escolas de inglês são inúmeras, é uma em cada esquina, e nas escolas, normalmente aprendemos inglês.
Temos acesso fácil ao idioma, por isso não há desculpas para não aprende-lo. Assista vídeos no youtube, séries e filmes em inglês, leia um livro, tenha aulas particulares, ou matricule-se em um centro de ensino que ensine inglês. As opções são diversas. Não precisa ser rico para aprender. Basta ter um computador com internet ou um bom amigo que possa te ensinar.
Boa sorte para quem está aprendendo ou ensinando. O inglês é essencial.
E claro, que não podemos esquecer de falar sobre o espanhol. Muitas pessoas pensam que nós brasileiros falamos espanhol, pelo motivo de estarmos cercados de países que fazem fronteira com o Brasil que tem como idioma nativo, o espanhol, porém, apesar do Brasil ser tão grande, nenhuma parte fala espanhol. O nosso idioma oficial é português. Apesar do espanhol ser bem parecido com o português, não nos comunicamos em espanhol. Mas, com certeza ele está na lista de idiomas essenciais para a nossa vida profissional.
Para quem gosta de viajar, aprender outras línguas é essencial para sobreviver, e se divertir mais ainda em países estrangeiros, e para quem sonha em crescer profissionalmente, ser bilingue ou trilingue é decisivo para ser promovido, ou alcançar o cargo dos sonhos. Tenha isso em mente, não é perda de tempo estudar. Você está só ganhando com isso. E o resultado final pode demorar, mas não desista.
É importante lembrar, que não aprendemos um idioma de dia para noite, não acordamos e no dia seguinte estamos falando inglês/italiano/espanhol. Aprender um outro idioma leva tempo, você precisa ser persistente e ter força de vontade.
Estude! Invista!

Signo dos participantes do BBB16


A imagem, já está com os seus devidos créditos, o perfil no twitter: https://twitter.com/signodkojf
Sei que há muitas pessoas, assim como eu, que gostaria de saber o signo dos participantes da décima sexta edição do reality show. Então, resolvemos divulgar aqui.
Espero que tenham gostado.

Isabella Cunha e Moniquinha - Floribella

(Imagem/Reprodução/Telenovela Floribella)

Devido ao sucesso enorme da nossa postagem anterior sobre por onde anda o elenco de Floribella, vamos dedicar essa postagem a duas atrizes que participaram do elenco e geram muita curiosidade sobre como elas estão atualmente, profissionalmente inclusive.
Sobre a Isabella Cunha é a atriz que menos temos informações, ela prefere se manter no anonimato, sem abrir as redes sociais para os fãs, as informações que temos são que ela está estudando, cursando uma faculdade (não são informações oficiais), e que Juliana Silveira (a atriz principal da telenovela) chegou a postar uma foto com Isabella Cunha em seu instagram marcando a atriz, mas logo em seguida, Isabella desativou sua conta do perfil.



Parece mesmo, que ela não quer ter o seu perfil público. Mas, nós fãs gostaríamos muito de ver como Isabella está atualmente. Quem é que não se lembra de Renatinha?
Isabella Cunha também fez uma participação em "Batendo o Ponto" com Ingrid Guimarães na globo.


Para saber mais sobre Isabella Cunha, clique aqui: "Por Onde Anda o Elenco de Floribella?"

E enfim, vamos falar da Moniquinha, melhor amiga de Bruna Fritzenwalden, que namorava o irmão dela, surfista, Guto. A atriz que interpretava Moniquinha era Yana Sardenberg. Sobre Yana temos mais informações. Ela continua fazendo trabalhos como atriz, e o seu perfil no instagram é público. Yana está em uma peça de teatro que está em cartaz, que se chama "loucamente apaixonados". O elenco conta com a maioria, jovens.

Atualmente, ela tem 25 anos.

Veja algumas fotos, a seguir de Yana:
(Instagram/Reprodução)

(Fotografia do Instagram oficial da atriz)

(Instagram/Reprodução)
Para mais fotos e mais informações sobre a atriz, visite o perfil dela no instagram: https://www.instagram.com/yanasardenberg/

Espero que tenham gostado desse post! Deixe seu comentário.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

O medo de ficar sozinho


O medo de ficar sozinho é muito comum, principalmente entre as mulheres. E esse medo não é exclusivo só no quesito de relacionamentos afetivos entre um homem e uma mulher ou uma mulher e outra mulher, ou um homem e outro homem. Bom, indecente da sua orientação sexual, todos podem ter medo de ficar sozinho, alguns mais que outros. Outros se consideram bem resolvidos nessa questão.
O que estou tentando abordar é esse medo DESNECESSÁRIO. A sociedade coloca uma pressão muito grande em todos, e principalmente nas mulheres, as pessoas insistem perguntar sobre filhos, sobre namorados, desde cedo, crescemos indo na casa de nossos parentes e ouvindo eles perguntando "e as namoradinhas?". E quando começamos a namorar, vem a pergunta "e o casamento?". E quando vem o casamento surge "e os filhos?".
Mas e se no caso as namoradas(os) nunca surgirem, e o casamento nunca vir e nem os filhos fazerem parte do plano. Somos donos do nosso próprio corpo e protagonistas da nossa própria vida. Não temos que ceder a pressão da sociedade para ter uma vida tradicional, podemos optar por caminhos alternativos e não querer nada disso para nossa vida.
Essa geração é a geração mais desapegada de todas. Elas querem estudar e viajar, e por último pensam em entrar no mercado de trabalho, ou elas focam muito no estudo e estabilidade financeira do trabalho e não querem começar nenhum relacionamento afetivo e nem ter filhos.
O que quero dizer é que não somos obrigados a nada, e temos que fazer o que for bom para nós, as vezes não planejamos começar um relacionamento, mas uma pessoa aparece na nossa vida e muda tudo, ou as vezes queremos muito ter uma família tradicional, mas ninguém aparece ou aparece e você percebe que não precisa de nada disso para se sentir completo (a).
Somos inteiros, somos completos, somos alguém e não precisamos de outro alguém para sentir plenitude, e nem nos preocuparmos em quem vai cuidar de nós na velhice se não tivermos filhos. Cada coisa no seu tempo e tudo o que tiver que ser será, e querendo ou não, vamos sempre caminhar e o tempo não para. As coisas podem aparecer ou não, mas elas sempre irão se ajustar e todo o caminho é válido.



Agora vamos deixar uma coisa bem clara, o medo de ficar sozinho coloca pessoas em relacionamentos ruins. Seja com amigos ou relacionamentos afetivos.
Sabe quando queremos fazer parte de um grupo de pessoas e ter muitos amigos, e acabamos nos doando muito e querendo muito a amizade de certas pessoas, mas na verdade esses amigos não combinam com você, não fazem o seu estilo e os pensamentos são muito diferentes dos seus. Você acaba se desgastando emocionalmente e fisicamente tentando fazer parte de algo que não se encaixa. Isso vale para relacionamentos amorosos também, e muitos deles podem ser abusivos, o excesso de ciúmes, a violência, o parceiro (a) querer te controlar e impor regras sobre a sua vida. Tudo isso faz mal.
Se afastem de tudo aquilo que te faz mal, de tudo aquilo que desgasta você, e de todas aquelas pessoas que você precisa se esforçar para ser amigo. Seja amigo de quem quer o seu bem e de quem insiste em ter a sua amizade, seja amigo de quem realmente se importa e de quem você gosta.
Não fique preso (a) em relacionamentos ruins por medo. Medo de não ter mais ninguém, medo de não se encaixar em mais nenhum grupo. O medo não pode controlar a nossa vida.
Tenha coragem de dizer não e nem tente se explicar. Você tem o direito de se afastar sem precisar se explicar, não fique justificando os seus pensamentos ou o que você sente, só nós sabemos o que sentimos. Ninguém está na nossa mente.
Se afaste e não justifique sua ausência. Apenas vá embora.
Coisas boas surgirão no seu caminho quando você se afastar das coisas ruins.
Melhore a sua vida social.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

A volta de Ana Paula para o Big Brother


O BBB é um programa criticado por muitos que se dizem intelectuais, e é julgado como "cultura inútil" e "alienação". Além de ser conhecido como o reality show do exibicionismo, onde os participantes bonitos mostram seus corpos para as câmeras e o Brasil inteiro acompanha.
Mas, essa edição eles focaram em pessoas comuns, é lógico que ainda tem os bonitões, mas não é maioria. Tem estudante de filosofia, doutor em filosofia, professor de ecologia, advogada, jornalista entre outras profissões.
No começo o clima entre os participantes estava muito bom, nenhum sinal de conflito. Mas, depois da primeira semana, o jogo começou a ser palco de brigas, gritos e muitos conflitos.
Além de tudo teve polêmicas. Polêmicas envolvendo acusações graves entre Ana Paula (formada em jornalismo) e Laércio, o zen da casa que está sempre meditando. Mas, mesmo sendo zen, não deixa de ser polêmico ao fazer declarações muito suspeitas e que foram motivo de gritaria.
As coisas não se acalmaram na casa, e a briga foi trazida para fora. O público se dividiu em 2 torcidas, Ana Paula X Laércio quando ambos foram emparedados. Surgiram inúmeras discussões no facebook e em outras redes sociais.
A torcida da Ana Paula estava em peso no twitter. Várias hashtags apoiando Ana tornaram-se assunto mundial. Mas, os fãs não estavam tão confiantes ao ver que ela estava perdendo pela enquete da UOL.
Eis que o inesperado acontece, Ana permanece na casa e Laércio é o eliminado da semana por 54% dos votos. A disputa estava acirrada.
Para quem não sabe, a polêmica que envolvia os dois era sobre pedofilia e assédio sexual. Mesmo com a permanência da Ana na casa o clima da casa não melhorou, e nem o daqui de fora, muita gente descordou dela, pelo modo de ter gritado e ofendido Laércio aos gritos. Realmente, ela não falou da melhor maneira.
Aqui fora então as coisas estavam piores do que os participantes possam imaginar, as pessoas acharam o perfil do facebook de Laércio e começaram a investigar quem ele era, o que ele compartilhava e o que ele curtia, o que eles encontraram não foi nada agradável.
Laércio curtia páginas de armas, compartilhava fotos de meninas novas, fazia comentários ruins e em um deles se declarava como efebófilo (adulto que tem atração sexual por adolescentes).
Ana Paula foi alvo de críticas, chamaram ela de louca e muita gente usou o argumento de que "se está no BBB sabe que está sendo observada, é hipocrisia reclamar porque estão te olhando". Páginas feministas estavam defendendo Ana.
Daniel declarou torcida para Laércio e também foi alvo de críticas ao defender um estupro.

E aí? O que vocês acham do ocorrido? Para quem torcem?
Os favoritos de acordo com a enquete da UOL são eles:

Os menos favoritos do público são esses:

O portal iG fez uma matéria sobre as atitudes de Laércio e convidaram um psiquiatra para analisar o ex-BBB, o resultado foi esse:
"existe um complexo de inferioridade em permanente crise de identidade, afirmando-se através da fragilidade e vulnerabilidade dos outros". "Uma pessoa assim é potencialmente pedófilo, tem personalidade agressiva e pode cometer crimes a qualquer momento. É preciso tomar cuidado.", explica Jacob.

Para saber mais sobre o que o psiquiatra achou de Laércio, leia no portal do iG sobre COMPORTAMENTO: http://delas.ig.com.br/comportamento/2016-02-03/psiquiatra-sobre-laercio-ele-nao-deveria-estar-no-bbb-mas-em-tratamento.html

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Perdendo seguidores no blogger


Estou perdendo seguidores constantemente no blogger e estava procurando no google o motivo disso, pois dar unfollow em um blogger não é tão simples quanto dar unfollow no twitter ou desfazer amizade com alguém no facebook. E é raro alguém parar de seguir algum blog.
Então procurei o motivo e não encontrei. Mas, agora eu entendi e vou explicar para mais blogueiras que também não estão entendendo porque os seguidores estão diminuindo constantemente.
Antes, no blogger, você poderia seguir um blog pelo google, yahoo ou twitter.

Quem se lembra, disso?

Hoje não existe mais as opções acima, a foto mudou, e é assim:

Isso explica tudo. Os seguidores que estamos perdendo são aqueles que nos seguiam através do twitter e do yahoo. Então acabou o mistério.



Nós estávamos com mais de 1350 seguidores e agora estamos com apenas 1020.
Espero que eu tenha respondido a dúvida de todo mundo que está na blogosfera.
Sigam o nosso blog através da conta google de vocês. E obrigada por todas as visualizações.


Amy Winehouse no Oscar e Grammy


Em 2015 foi lançado um documentário que conta a história da cantora britânica Amy Winehouse. O documentário é muito fiel a história verdadeira, e além de contar a história conta com muitas músicas que vão dando sentido ao longo das histórias e acontecimentos na vida de Amy.
Dia 1 de fevereiro de 2016 o documentário musical foi lançado no netflix. Eu assisti e amei. Fiquei ainda mais apaixonada pela cantora, e pelas músicas dela.
Uma pena termos perdido um talento como este. Uma voz linda, uma personalidade excêntrica. Alguém que mesmo não estando mais aqui está ultrapassando gerações com suas músicas. Foi uma fatalidade perdermos alguém tão importante quanto Amy, por causa de seus inúmeros problemas e vícios.
Mas ela ainda está viva e se faz presente através de suas canções. E esse documentário faz com que possamos sentir mais ainda Amy e conhecermos mais a fundo sua história.
O documentário foi indicado para o Grammy como melhor filme musical e está sendo indicado também para o Oscar como melhor documentário. A cerimônia dos Oscars acontece no dia 28 de fevereiro em Los Angeles. E o Grammy acontece dia 15 de fevereiro.
O filme também foi indicado para outras inúmeras premiações, britânicas e americanas. E já ganhou muitos prêmios, além de emocionar muitas pessoas.
Recomendo todos assistirem ao documentário e conhecerem mais um pouco sobre Amy. Ele está disponível no netflix.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

We miss you Amy


I just watched "Amy" a documentary about Amy Winehouse. A very talented singer with an awesome gift. She really knows how to sing, yes she knew.
I'm so happy to had the chance to know her even if only though internet, videos and tv. The thing is, I knew her in the time she was alive. What a good time to be alive. But a bad time for music when she passed away.
We lost more than a woman. We lost a talent. We lost a very special woman. And I feel that I have to write something about her here after watch all her story in that documentary. I want her in my blog. I want to give her a space here in one of my social medias.
Thank you so much Amy to gave us such a good thing like your MUSIC, your songs. It's such a pleasure to the world have your voice here with us alive. Even if you're not here anymore. We still listening to your songs. We still love you.
We miss you so much.
Thank you.