sexta-feira, 29 de abril de 2016

10 Sinais de que você tem medo de si mesmo

10 SINAIS DE QUE VOCÊ TEM MEDO DE SI MESMO

1- Você está se julgando o tempo todo
Uma coisa que temos que colocar na nossa cabeça é que seremos julgados de todos os jeitos e não importa o quanto será o nosso esforço para agradar as pessoas. Nunca conseguiremos agradar todo mundo, assim como nós mesmos não gostamos de todas as pessoas e julgamos. Essa é a realidade, por mais que seja cruel.

2- Fica relembrando de micos e gafes que cometeu no passado e se sentindo culpado por tudo.
Pare de ficar se arrependendo o tempo todo das mesmas coisas que nunca poderão ser mudadas, e talvez você seja a única pessoa que ainda se lembra do que aconteceu e ninguém se importa, mas você faz questão de se sentir super mal e ficar se torturando a cada segundo. S u p e r a !!!


3- Tortura-se só de lembrar o quão idiota você foi no dia anterior
"MEU DEUS DEVE TÁ TODO MUNDO ME JULGANDO DEPOIS DE ONTEM"
"ninguém vai me perdoar"

4- Sempre acha que não fez o suficiente/que estava horrível
"eu poderia ter feito mais, ter feito melhor, não me esforcei, nunca me esforço, sou uma merda"


5- Não presta atenção quando conversam com você, vive distraído e não se sente presente
"eeeeeeeeeei estou falando com vc!!! ME RESPONDEEEEE" "Oi??? responder o que???"

6- Demora muito para expressar seus sentimentos e se abrir com as pessoas
Tudo bem que não é legal ficar se expondo para todo mundo, temos que saber o que é e o que não é para ser exposto, mais chega uma hora que a gente se fecha de uma maneira tão protegida dentro de nós mesmos e se abrir passa a ser um desafio muito grande o qual tem que ser superado.

7- Está o tempo todo pensando no que os outros estão pensando de você e o quanto você pode parecer um(a) idiota por fazer/dizer tal coisa

8- Está sempre se controlando. Nunca fala exatamente aquilo que está sentindo ou pensando


9- Seus amigos/familiares vivem repetindo "se solta" "para de pensar isso" "seja mais positivo"


10- Você sempre está pensando em "como poderia ter sido se eu não tivesse feito aquilo" "por que eu disse justo aquilo, com tais palavras?" "por que eu não sou alguém normal?" "meu Deus, o que será que ela está pensando de mim?" "será que eles me acham muito chato ou metido?" "preciso ser mais humilde, não posso ficar falando muito" "não sou o suficiente" "nunca sou o suficiente, bonito o suficiente, magro o suficiente, legal o suficiente"............. 

QUANTOS DILEMAS

Tenho medo de mim mesma

Como lidar com o medo de si próprio?

Sim, existe isso, temos medos e o maior deles é de nós mesmos. Não me surpreende e nem me agrada, ao pensar que quem melhor para nos destruir do que nós mesmos? Nós que sabemos dos nossos maiores defeitos, dos mais pequenos, daqueles que irritam, das piores história, das gafes cometidas, dos micos que pagamos, do que dissemos e não gostaríamos de ter dito... Dos arrependimentos que ficam surgindo na nossa mente inquieta.
O auto-julgamento é o ato de nos julgar, nos criticar, ter vergonha do que fizemos, do que fazemos, das nossas atitudes e das coisas mais simples que soam como o fim do mundo.


Estamos sujeitos ao julgamento alheio o tempo todo, não vivemos numa bolha, e estamos sempre cercados de pessoas, que vão no julgar nós querendo ou não. E por mais esforço que façamos para passar uma boa imagem, ser alguém legal. Vamos ser julgados. Nós julgamos e seremos julgados.
Mas, o pior julgamento não é o alheio, e sim o de si mesmo. Quantas vezes nos pegamos nos criticando e pensando "por que eu disse aquilo?" "como fui burra" "como fui trouxa" "como deixei essa passar?" "por que eu não fiz isso?" "por que?" "mas... E se tivesse acontecido...?".

APENAS PARE.


PARE.

Pare de se culpas por coisas já passaram ou por coisas que ainda nem aconteceram. Pare de antecipar seu sofrimento ou sofrer por algo que já não tem como mudar.
A nossa perspectiva é diferente da dos outros e o que é tão ruim para nós, pode não ser o fim do mundo para o outro. Pare de se torturar. Amor próprio não é só um nome que damos há um amor que sentimos por nós mesmos, é um ato de coragem. E deve ser praticado.
Honre a si mesmo. Tenha orgulho do que você é e de quem você já foi.
Você é um composto das suas viagens, dos seus amigos, das coisas que você ama, dos lugares que você já foi, das suas experiências sejam elas boas ou ruins. Tudo aquilo compõe a sua personalidade e todo o seu passado te ajudou a construir um novo eu. Melhorar esse EU.

Não há absolutamente nada de errado em se amar. Errado é se odiar, se torturar, se colocar pra baixo, se subestimar, se criticar, se colocar como a pior pessoa do mundo, se arrepender de tudo, ver tristeza em tudo, ser melancólico. Naturalizar a dor já deixou de ser normal faz tempo, NUNCA foi normal. Não considere o baixo-astral como um sentimento do cotidiano.



Permita-se sentir, viver, ser feliz, permita-se o bem. Seja o bem.

Você merece coisas boas. O sofrimento não tem que ser rotina, não tem que ser normal e não é necessário, não se culpe. Seja feliz, seja leve. Seja você.
VIVA!

sábado, 9 de abril de 2016

Principios básicos da astrologia


Nesse post vou resumir um pouco sobre o básico da astrologia que são as posições, as casas e os planetas.
Cada casa tem um significado e cada planeta tem o seu. Todos nós sabemos onde o sol estava no dia do nosso nascimento, até você sabe! É simples, o seu signo, seja ele, câncer/touro/gêmeos entre outros é o seu signo solar. O sol fica em câncer por exemplo do dia 21 de junho até o dia 22 de julho.

Nessa imagem a seguir, podemos ver o significado básico de cada planeta:

Sol - A sua personalidade em geral, quem você é, o que você sente.
Lua - Suas emoções, sentimentos. Seu eu interior.
Ascendente - Como as outras pessoas te enxergam. Como você é visto. Características externas.
Mercúrio - Como você se comunica
Vênus - Amor e relacionamentos
Marte - Suas ações, energia física, o que você mais ama, sexo
Júpiter - Poder, generosidade, grande visão
Saturno - Esforços (obstáculos), dificuldades
Urano - Liberdade individual, originalidade
Netuno - Imaginação
Plutão - Transformações


EXPLICAÇÃO ABREVIADA DE UM MAPA ASTRAL
ASCENDENTE = Seu 'eu' exterior, o que você sente por dentro e expõe para as pessoas
SOL= Traços fundamentais da personalidade, seu 'eu' interior
LUA= Seus sentimentos e emoções
JÚPITER= Crescimento pessoal
PLUTÃO= Motivação interior, ideias espirituais, carreira, interesses
MERCÚRIO= Garganta, voz, como você se comunica com as pessoas
NETUNO= Sonhos e idealismo
SATURNO= Inseguranças, a busca pela experiência, riquezas materiais e trabalho
VÊNUS= Amor e inclinações românticas
MARTE= Espírito de luta, esforço e motivação
URANO= Liberdade de espírito

AS CASAS NO MAPA ASTRAL
1 - Primeira abordagem a situações, aparência pessoal
2 - Dinheiro e como você lida com ele, valores, recursos
3 - Pensamento, aprendizagem, comunicação, irmãos
4 - O lar, o passado, a influência familiar, o cuidado recebido
5- Filhos, criatividade, recreação, namoros
6 - Trabalho e sua atitude diante dele, saúde
7 - Casamento e outras relações de compromisso
8 - Sexo, reprodução, morte, cura

9 - Religião, filosofia de vida, educação superior
10 - Carreira, sua posição social no mundo, autoridade
11 - Amigos, grupos, transformação social
12 - O inconsciente, comportamento secreto, espiritualidade

Sobre "Senhorita Julia"

(Contém SPOILER) 

Imagem: Blog Garota Etc (Apresentação/Senhorita Julia)
Nesse post escrevo resumidamente sobre "Senhorita Júlia". Uma peça muito famosa e que é representada no mundo todo, no resumo a seguir, cito alguns temas que a peça trata, como a desigualdade social, diferença sócio-econômica, igualdade entre os sexos e o conservadorismo.
Senhorita Julia é uma peça escrita em 1888 por August Strindberg, sueco, e publicada no mesmo ano em 23 de novembro, e em 1889 ela foi representada num teatro.
Ao ser representada ela foi modificada para evitar censura e perseguição, já que era uma época muito conservadora, e a peça trata sobre temas polêmicos e que eram tabus, ao começar pela senhorita Julia que era uma mulher ousada, criada por uma mãe feminista. O texto do drama naturalista não foi o único a ser censurado na época, o prefácio também foi modificado. August, no prefácio deixa claro sua opinião sobre a igualdade entre homens e mulheres, ele é contra, e percebemos isso também ao analisarmos a história, ao vermos o quanto Julia é atrapalhada pela influência de sua mãe feminista. Ao viver em uma sociedade conservadora e estar numa família com costumes tradicionais. E que apesar do meio em que ela se encontra, ela vai contra tudo isso, e se mostra diferente das demais mulheres, ao gostar de seduzir os homens, e mostrar-se totalmente bem resolvida com a sua sexualidade, e com o sexo. Mas, é isso justamente que vai gerar um conflito, essa liberdade toda. Vai causar uma série de conflitos.
Strindberg considera Senhorita Julia uma "meia-mulher". Pois, ao mesmo tempo em que está inserida em costumes tradicionais, ela desrespeita-os sendo ousada e agindo de forma inconsequente e inaceitável para a época.
Filha de aristocratas, uma jovem rica, amava seduzir os homens, e tinha uma liberdade com o corpo dela que poucas mulheres da época tinha. Senhorita Julia era livre. E não tinha medo de ousar, arriscar, seduzir, não tinha medo de ir contra os princípios de uma sociedade conservadora.
A peça também trata sobre a diferença entre classes sociais. Os personagens são: Julia, Jean e Cristina. 
Jean era um criado que ficava na cozinha e tinha um caso com Cristina, também criada da casa. Toda a história se passa na cozinha da casa da família de Julia.
Enquanto Julia tinha acesso livre a cozinha e ao quarto dela, Jean e Cristina tinham acesso livre a cozinha e tinham que fazer as tarefas domésticas. Julia poderia descer até a cozinha e a todos os cômodos da casa livremente, ela estava em uma posição social que a permitia isso.
Cristina e Jean estavam embaixo, como criados. Pobres. Jean era ambicioso e tinha vontade de subir na vida, mas como todos sabem, é difícil subir na vida sendo um criado, trabalhar mais e mais, não o faria subir na vida rapidamente, tão pouco lentamente, acho que ele só ficaria mais cansado pela quantidade de trabalho. 
Atualmente, as coisas não mudaram, se você é um empregado e quer subir na vida, trabalhar mais não é a melhor opção para subir um degrau na escada social. Ainda mais quando você não tem recursos, estudos, oportunidades. Com Jean não era diferente.
Ao decorrer da história, na noite de São João, Julia se envolve com Jean, um jogo de sedução começa. Jean revela sua paixão por Julia desde quando eles eram crianças, Jean costumava observa-la  de longe, sem ultrapassar a barreira que existia entre "patrão" e "empregado".

"Alessandra Negrini é Senhorita Júlia em 'A propósito de senhorita Júlia'. Peça adaptada para a realidade do Brasil atual.

Julia foi vítima de seu próprio jogo. Pois, Jean usaria Julia como uma ponte para ajudá-lo a atravessar essa grande barreira social entre os dois. E Julia era a única maneira que ele encontrou de subir um degrau.
Sobre Cristina, ela não se importava com os planos ambiciosos de Jean, Cristina representa a sociedade. E ela demonstra aceitação com a posição social em que ela se encontra no livro, e não tem interesse em mudar. Ela inclusive, acredita que seja uma grande besteira tentar mudar de posição. Cristina demonstra conformidade.
Julia e Jean se envolveram sexualmente. Julia ao descobrir a possibilidade de gravidez se desespera. Procura Cristina e comenta seu plano de fugir com Jean e Cristina. Conta que eles podem começar um negócio e começar a trabalhar bem longe, e que a vida deles seria bem melhor longe de lá.
Cristina pouco interessada, desacredita em tudo o que Julia está planejando. Julia tenta convence-la de que tudo dará certo e será ainda melhor longe de tudo.
Pouco adiantou o discurso, Julia então, resolve procurar Jean, que a encoraja a cometer suicídio. Julia suicida-se.

domingo, 3 de abril de 2016

Recomendo chorar


Recomendo Chorar
Hoje você não precisa ser forte
Não precisa esconder sua dor
Hoje você é pequena
Diante do inexplicável
Diante do fim
Um aperto no peito
A tristeza que surge
Sem nenhuma explicação lógica
Hoje é um dia de carregar um silêncio pesado
Um dia para chover
Na nuvem chamada travesseiro
Regar a sua humanidade e vulnerabilidade
Diante do grande desconhecido
E crescer
Zack Magiezi