A grande angústia de lutar por grandes causas

Já faz alguns anos que tenho lutado por grandes causas, como o feminismo, o movimento contra corrupção, por menos desigualdade social no Brasil e no mundo, preconceito linguistico, direitos humanos... A lista é enorme.
Vou nas manifestações, assino abaixo assinado, mas além disso, muito além de qualquer manifestação ou petições assinadas, tenho cortado relações com pessoas queridas, deixo de seguir e admirar muita gente, crio climas desconfortáveis com pessoas que simplesmente não sabem conversar civilizadamente e começam a elevar o tom de voz comigo.
Nunca foi tão difícil se importar. A luta por causas sociais tem me tornado uma anti social.

É incontável as vezes que paro e penso se tudo isso vale a pena, se estão me achando extremista, se eu não sou apenas uma pessoa chata. Se eu estou deixando de aproveitar verdadeiramente a minha vida por comprar lutas alheias (a luta também é minha, é nossa, estamos conectados). Uma voz interior me diz que eu preciso fazer algo para mudar o mundo, que eu preciso dialogar pacientemente, que eu jamais posso pensar ou ousar DESISTIR da luta.

Ora sou chata, ora quero mudar o mundo. Ora sou a chata tentando mudar o mundo, ora sou aquela pessoa inspiradora que tenta fazer algo. 

Carrego um peso nas costas muito grande por tentar fazer algo, as vezes é atrás de uma tela de computador, mas acredite, isso também desgasta muito! E muda muito!

Recebo muitas mensagens de apoio, pessoas que me admiram, algumas que me conhecem pessoalmente e outras que nunca conversaram comigo, muita gente gosta do que eu posto, se identifica e diz para eu continuar, muita gente nem sabe da minha luta e nunca nem disse nada, só visualiza. Muita gente me xinga, me bloqueia, denuncia os posts e tenta me intimidar.  
Vivo em constante questionamento sobre continuar ou desistir. Mas, a grande questão é, não dá pra desistir, ignorar o que eu vejo, se eu estou vendo... EU SEI do que está acontecendo, como fingir que não vi nada e continuar postando outras coisas, continuar indo para outros lugares, não me juntar a eles, não conversar com eles, não entrar nos debates, como fingir que não vi? Como ignorar as injustiças? Como ignorar os fatos? Como fingir que está tudo caminhando perfeitamente bem e que o mundo não precisa de mim.

Por vezes acho que eu não estou fazendo a minima diferença, que sou só mais uma na multidão, dai me lembro das mensagens que recebo de incentivo, de pessoas que me elogiam, e pedem conselhos sobre temas polêmicos, ajuda para argumentar em discussões, querem saber da minha opinião e etc. Ok. Não dá pra agradar todo mundo, não dá nem mesmo para me agradar. Estou em constante crise. Sobre quem sou, quem ser, porque lutar.

Não tem sido fácil, as vezes sinto que não sou a mesma pessoa de sempre ou a pessoa que os outros esperam que eu seja, quando eu deveria estar feliz e animada, me encontro triste e fazendo um esforço enorme para acender aquela chama que eu sei que ainda existe em algum lugar dentro de mim, que difícil tem sido tentar mudar o mundo. Que difícil tem sido permanecer positiva no meio do caos.

Comentários